26 de fevereiro de 2020

Ressaca de maconha existe mesmo?

No Brasil, o dia 28 de fevereiro é dia nacional da ressaca, e em homenagem a este dia vamos falar um pouco sobre a ressaca de maconha. Por ser mais tolerável que a maioria das ressacas, como a causada pelo álcool, por exemplo, pode passar despercebida. Mesmo assim, é ainda mais comum do que se imagina.

Dentre os sintomas, estão inclusos: fadiga, letargia, confusão mental, olhos e bocas ressecados, náusea leve e até dores de cabeça. Porém, por causa das proibições acerca da cannabis, os estudos sobre a ressaca acabam sendo restringidos. No entanto, muitos usuários reclamam dos efeitos no dia seguinte ao do uso.

Resultados científicos sobre a ressaca

Apesar das restrições legais dos estudos, o mais famoso deles é de 1985 e conta com apenas 13 participantes. Todos homens que receberam, aleatoriamente, ou um baseado com 2.9% de THC, ou placebo, que não continha a substância. Após consumirem o que foi dado, os participantes tiveram que realizar tarefas simples, como classificar cartas, por exemplo. Após uma boa noite de sono, estas mesmas pessoas tiveram que realizar novamente as tarefas, porém notou-se um efeito residual apenas nos que consumiram THC. Concluiu-se então que ressaca de maconha realmente existe.

Outro estudo feito em 1998, com 10 participantes homens, concluiu que os efeitos do dia seguinte após fumar apenas um baseado são mínimos. E de fato, os relatos de pessoas sobre ressaca de maconha vêm do consumo de quantidades muito maiores do que apenas um baseado. Na realidade, esses relatos vêm mais do consumo de alimentos com THC do que da substância fumada.

Por mais que a existência da ressaca de cannabis tenha sido constatada, ainda faltam estudos para entendermos melhor este fenômeno. Por causa de fatores como concentração de THC, potência da strain e até a química corporal do indivíduo, é difícil prever quanta maconha você pode consumir sem ter ressaca. Entretanto, devido a potência e duração dos efeitos serem maiores, os usuários de extratos ou alimentos de cannabis estão mais suscetíveis a sofrer no dia seguinte do uso. A dica é começar devagar e conhecer seu corpo e as suas reações até chegar na dose ideal.

Como lidar com os sintomas

  • Confusão mental e fadiga: force seu corpo a acordar tomando um banho gelado e praticando exercícios leves, como uma caminhada. O consumo de um estimulante como cafeína, por exemplo, pode ser uma boa opção também.
  • Dores de cabeça: tente aplicar compressas frias ou massagear a têmpora. Em último caso, opte por medicações como aspirina ou ibuprofeno.
  • Náusea: neste caso o ideal é manter-se hidratado e evitar alimentos pesados que possam irritar o estômago. Apesar da cannabis ser conhecida por aliviar náuseas, evite consumi-la novamente até que os sintomas da ressaca tenham passado.
  • Olhos ressecados: o uso da maconha expande pequenas veias presentes nos olhos causando os famosos olhos vermelhos. Para aliviar este sintoma a única saída é fazer uso de colírios.

Alguns relatos sugerem que cannabidiol (CBD) pode agir contra os sintomas associados à ressaca de maconha. Esta ação do CBD é chamada de Efeito Entourage e você pode saber um pouco mais sobre ele no post “Porque maconhas diferentes tem cheiros diferentes?“. O CBD pode ser consumido na forma de óleo ou extrato, mas se optar por este método certifique-se de que não tenha nenhum preparo contendo THC.

Agora você está preparado para comemorar o dia nacional da ressaca sem grandes preocupações. Conta pra gente nos comentários qual foi a sua pior ressaca de maconha.

 

Fonte:
https://www.healthline.com/health/weed-hangover
https://www.leafly.com/news/health/weed-hangover-symptoms-and-cure

 


Conheça o Cultiva Blog

 

Publicidade

Leia Também

ESSE BLOG NÃO É PARA MENORES DE IDADE!!

VOCÊ TEM 18+?